Sucesso!

Recebemos seu E-mail! Aguarde nosso retorno.  

Erro

Preencha o formulário corretamente!
Nas últimas décadas, notou-se grandes evoluções no mercado de logística do Brasil.

Nas últimas décadas, notou-se grandes evoluções no mercado de logística do Brasil. Os donos de armazéns e centros de distribuição não foram os únicos a perceberem isso, já que os clientes estão cada vez mais informados e exigentes. 

Neste cenário, o funcionamento da gestão logística é primordial para garantir a satisfação do consumidor. Esta área tem muitos desafios, mas é possível garantir que os processos ocorram sem problemas. O uso de sistemas de picking, por exemplo, dinamiza os fluxos e oferece para os clientes os produtos na hora em que eles são solicitados. 
 
Este conceito não é novidade, uma vez que é uma prática bastante comum dentro da indústria. No entanto, não são todos os gestores que sabem o que é picking, seus tipos disponíveis e como aplicar as estratégias dentro do negócio. 
 

O que são sistemas de picking?



De modo geral, definimos o que é picking como a coleta do mix de produtos em suas quantidades corretas da área de armazenagem. Profissionais do Reino Unido apontaram este processo como prioridade dentro dos centros de distribuição, já que ele garante o bom desenvolvimento da empresa. 
 
É fácil entender o porquê. Os sistemas de picking possibilitam uma redução considerável no tempo de manuseio dos pedidos, ao mesmo tempo em que reduzem os custos de tal atividade. As tarefas englobadas nesta prática envolvem:
 
-Deslocamento entre os locais de separação; 
-Extração dos itens de locais de estocagem
-Acesso aos locais de separação; 
-Documentação das transações de separação; 
-Separação dos itens em pedidos; 
-Embalagem dos itens. 

 
Qual a importância dos sistemas de picking dentro dos armazéns?


Estima-se que entre 30% e 40% do custo de mão-de-obra está associado a esta prática, o que faz com que muitos gestores pensem como podem aplicar os sistemas de picking dentro de seus empreendimentos. 
 
Afinal, o mínimo exigido pelos clientes são produtos de qualidade. As empresas precisam ir além para acompanhar as expectativas dos consumidores e conquistar boa parte do mercado. Dentro deste cenário, a atividade de picking logística assegura uma operação que atende as necessidades do cliente através de sistemas de controle e monitoramento que suportem os níveis de serviço e qualidade diagnosticados.
 
Ao mesmo tempo em que entendemos a importância dos sistemas de picking dentro dos armazéns, não podemos negar que essa prática tem seus próprios desafios. O mais importante deles é alinhar a redução de custos à eficiência e qualidade do processo. Ou seja, como fazer mais atividades em menos tempo e sem falhas no fluxo, como a falta de produtos.
 
Para ajudar nesta escolha, foram desenvolvidos diferentes tipos de picking. 
 


Quais são os tipos de picking disponíveis?


Atualmente, existem quatro tipos de picking diferentes. Cada um deles foi desenvolvido com o objetivo de minimizar o tempo gasto indevidamente e todos possuem aplicações típicas a sua finalidade. 
 

Picking discreto 


É o modelo mais simples e oferece vantagens em relação à segurança do processo. Neste tipo, cada operador coleta um pedido por vez, item a item. Logo, reduz as chances de erro por envolver apenas um responsável e um documento para cada ordem de separação da mercadoria. 

O picking discreto é bastante utilizado nas unidades de separação de grande volume, em que há alta relação entre SKUs por pedido ou SKUs em estoque. 
 


Picking por lote



Dentre os tipos de picking, este é um dos mais produtivos por diminuir as locações — o responsável espera acumular o número de pedidos para iniciar a coleta. Dessa forma, cada operador coleta um grupo de pedidos de maneira conjunta.

Porém, as probabilidades de erro são maiores nesse caso. Este modelo é mais recomendado para unidades de médio ou pequeno volume, bem como pedidos com poucos itens. 
 


Picking por zona



Os espaços de armazém são divididos por zona e cada operador é associado a uma zona, sendo o responsável por recolher os artigos do pedido de sua área de atuação. 
Entre os sistemas de picking, esse faz com que o operador tenha maior conhecimento da sua zona de atuação, o que inclui mercadores e suas respectivas localizações. No entanto, os colaboradores precisam de atenção para que não haja falta de produtos. 

O picking por zona é mais aplicado em áreas de armazenagem espaçosas ou em indústrias que possuem grande variedade de produtos. Este tipo também é recomendado para produtos que exigem diferentes métodos de manuseio e acondicionamento.
 

Picking por onda


Neste caso, os pedidos são coletados conforme as programações por turno. Para facilitar a organização, é crucial ter o agendamento de um determinado número de requisições por turno.

É o tipo de picking mais usado quando o tempo de entrega é curto, uma vez que é inviável esperar ter um número considerável de pedidos. Não à toa, é o método aplicado em sistemas com grande movimentação, que requerem maior sincronia da coleta com a expedição de pedidos.


Como implementar os sistemas de picking na sua empresa?



Com esses diversos tipos de picking disponíveis, a empresa precisa escolher qual dos modelos melhor se encaixa nas suas necessidades. Essa decisão não pode ser feita com base no "achismo", uma vez que influencia todo o processo de operação. Logo, a opção errada pode desencadear uma série de prejuízos processuais e financeiros. 
 
O mais indicado é testar e adaptar os sistemas de picking que potencializam a eficiência na armazenagem. Fazer isso é mais simples do que parece quando se implementam apenas duas estratégias: 
 
1. Coloque os produtos de maior giro em pontos de fácil acesso, para reduzir o tempo de deslocamento dos operadores. Já os produtos que não saem com tanta frequência devem ser estocados mais longe, para não obstruir espaço.
2. Encontre soluções de armazenagem que facilitem a busca pelas mercadorias, melhorem o fluxo e aumentem a produtividade dos colaboradores. A Bertolini oferece soluções inteligentes que agilizam os fluxos e minimizam o tempo de extração dos itens estocados.

Optar por determinado tipo de sistema é apenas um passo rumo à aprimoração dos setores de estoque e armazenagem. Aqui, você confere 5 dica essenciais para melhora essas etapas e trazer mais vantagens para seu negócio.
Gostou do nosso conteúdo?
Se você achou este conteúdo útil, continue navegando pelo blog da Bertolini e conheça muito mais sobre sistemas de armazenagem e processos logísticos que vão ajudar a sua empresa.
voltar