Sucesso!

Recebemos seu E-mail! Aguarde nosso retorno.  

Erro

Preencha o formulário corretamente!

Você já ouviu falar do ponto de pedido? Também conhecido como RoP, por causa do seu nome em inglês reorder point, esse indicador deve ser acompanhado de perto. Afinal, ele ajuda a otimizar a armazenagem e funciona como um "gatilho" para a indicar a necessidade de repor mercadorias.


O que é ponto de pedido? 



Os gestores precisam estar sempre atentos ao nível do estoque. Ele não pode estar abaixo da média, porque isso pode fazer com que os pedidos não sejam atendidos, mas também é necessário evitar o stockout. Ou seja, a ruptura de estoque.
 
Uma forma simples e eficaz é fazer o ponto de pedido. Ele indica o momento ideal para emitir o pedido de compra, que se baseia na quantidade mínima que o negócio pode operar em casos de imprevistos. 
 
Em empresas com maior gestão de estoque, esse processo muitas vezes é automático: quando aquele item chega a uma determinada quantidade, o sistema manda um pedido para o setor Comercial. Dessa forma, o produto em questão não fica em falta e não há perda de vendas. Por outro lado, não há um excesso de itens — problema que pode ocorrer se não é realizado um inventário periodicamente.
 


Como calcular o ponto de pedido?



Felizmente, há um jeito simples de entender o ponto de pedido. Seu objetivo é atingir o equilíbrio entre o custo do investimento da mercadoria e o risco do stockout. Assim, a fórmula utilizada é: 
 
Ponto de pedido = estoque de segurança + (consumo médio x lead time)
 
O que nos leva à explicação de outros conceitos ligados a esse indicador:
 
• Estoque de segurança: É o número mínimo de itens para não ocasionar rupturas. Ou seja: a quantidade necessária de produtos para evitar faltas de estoque diante da variabilidade da demanda e a incerteza do ressuprimento.
 
• Consumo médio: Média diária pela qual aquela mercadoria é consumida. Utilize um sistema WMS para acompanhar o fluxo de itens e conseguir calcular esse indicativo. 
 
• Lead Time: Período total entre o pedido feito pelo cliente até que o item seja enviado para o consumidor. Muitas empresas estão investindo na intralogística para melhorarem esse indicador, pois isso significa otimização de processos e redução de desperdícios.

 

 
Com esses conceitos, podemos prosseguir para um exemplo. 
 
Vamos imaginar que sua empresa venda produtos para cozinha, como panelas. Por dia, são vendidos 500 itens e o fornecedor leva 7 dias para enviar novas remessas para o armazém. Se o estoque mínimo for de 2.000, o ponto de pedido é calculado da seguinte forma: 
 
Ponto de pedido = 2000 + (500 x 7) = 2.000 + 3.500 = 5.500. 
 
Assim, neste exemplo, toda vez que o estoque atingir cinco mil e quinhentas unidades de panelas, é preciso acionar o fornecedor. Além de fazer esse cálculo, é interessante acompanhar a organização e capacidade do armazém. Se ele estiver ficando vazio, pode ser indicativo de que está na hora de fazer um novo pedido. 

Ter um armazém automatizado ajuda nessas horas, pois fica mais fácil ter uma visão geral do que está acontecendo. Muitos gestores não sabem quando tomar essa decisão — se esse é o seu caso, clique aqui para descobrir se sua empresa está pronta para automatizar processos logísticos.

Gostou do nosso conteúdo?
Se você achou este conteúdo útil, continue navegando pelo blog da Bertolini e conheça muito mais sobre sistemas de armazenagem e processos logísticos que vão ajudar a sua empresa.
voltar