Sucesso!

Recebemos seu E-mail! Aguarde nosso retorno.  

Erro

Preencha o formulário corretamente!
A escolha do acabamento para os sistemas de armazenagem deve ser observada como uma estratégia para a logística da sua empresa. Você sabe que o uso do espaço dentro do seu depósito precisa ser estratégico, não é? 
 
É por isso que muitas empresas optam por sistemas de armazenagem que oportunizam o uso racional dos espaços e que permitam que os protocolos adotados pela sua organização sejam devidamente seguidos. Agilidade, redução de custos e organização são sinônimos de bons resultados. 

Porém, o que também precisa ser estratégico é qual o tipo de aplicação de acabamento da sua estrutura. Esse processo tem como objetivo o aumento da durabilidade do equipamento, criando uma barreira física que separa o ambiente do aço, não permitindo sua oxidação e impedindo o processo de corrosão. 


Corrosão 


Um dos principais objetivos dos processos de pintura é evitar a corrosão, capaz de trazer prejuízos a nível estético e, principalmente, estrutural. A corrosão ocorre através da perda de elétrons de um material para outro e pode ser química, eletroquímica ou eletrolítica. 
 
Quando pensamos na indústria, a forma de corrosão que mais traz preocupação para as empresas é a corrosão eletroquímica. Nessa situação, um metal perde elétrons enquanto outro, com potencial eletroquímico maior recebe os elétrons na presença de água, em um processo de oxirredução. 
 
Quanto mais nobre é um metal, maior a sua resistência à corrosão. O ouro, por exemplo, é um metal precioso devido à sua capacidade de resistir à corrosão, mantendo suas propriedades íntegras por muito mais tempo do que os demais metais conhecidos.
 
Por outro lado, o aço, o elemento mais comum na indústria, tem forte tendência a oxidar (corroer ou enferrujar). Ou seja, tem grande potencial para perder elétrons para o meio ou para outro material de maior potencial eletroquímico. 
 
Isso pode ser evitado com diferentes métodos e sistemas existentes no mercado, sendo os principais: 

 

Pintura 


A pintura eletrostática é considerada o método de acabamento com maior eficiência disponível no mercado. Esse tipo de pintura oferece um acabamento liso espelhado, que não deixa manchas ou bolhas, comuns em outros métodos. Essa técnica utiliza o princípio de atração e repulsão de cargas elétricas para melhor fixação da tinta em aplicação nas estruturas. 
 
As tintas utilizadas pela Bertolini Sistemas de Armazenagem são termoconvertíveis, que se originam da reação entre a resina e o agente de cura após a fusão do pó. O material se polimeriza e forma um componente com grande peso molecular, que possui propriedades físico-químicas otimizadas. 
 
Para ser pintada, a estrutura metálica e a tinta recebem cargas elétricas opostas através de um aplicador especial, que permite a cobertura total da peça de forma mais prática e com grande velocidade. 
 
Depois desse processo, a estrutura é colocada em uma estufa a 250°C, onde a tinta se funde à estrutura, formando uma película resistente, uniforme e com belo acabamento. E também estamos falando de um método bastante sustentável, visto que não é necessária a utilização de solventes. Isso precisa ser levado em conta pela sua empresa. 
 
Enquanto os métodos usuais precisam da tinta diluída, a pintura eletrostática dispensa diluição em solvente, oferecendo menos riscos à saúde e ao meio ambiente. A Bertolini tem como um dos seus pilares de excelência a qualidade de seus produtos e o respeito pelo meio ambiente. 
 
Além desses, listamos abaixo outras vantagens de optar por um produto com acabamento em pintura. 

-Alcance da tinta em cavidades de difícil acesso; 
-Grande resistência a impactos;
-Além da corrosão, resistência à abrasão, produtos químicos e manchas também;
-Diversidade de cores e acabamentos;
-Excelente aderência e flexibilidade;
-Resistência química e mecânica;
-Resistência ao clima extremo, como os efeitos do sol, raios UV, calor, frio e umidade;
-Não ocorre perda de material na aplicação. O pó que não fica na peça é reaproveitado;
-Acabamento e aspecto visual durável; 
-Utilização de cores chamativas em determinadas peças, com o intuito de auxiliar na operação e segurança dos sistemas de armazenagem.
 

Galvanização



A galvanização, também chamada de galvanoplastia, é um processo químico ou eletroquímico no qual uma fina camada de metal é aplicada sobre a superfície de um determinado item — seja ele metálico ou não. 
 
Sua principal função é proteger o objeto de desgastes provocados pela manipulação, contato com o ar ou a simples utilização do item. O procedimento é feito por meio de eletrólise em meio aquoso, assim a peça é totalmente coberta pelo metal. A galvanização pode ser feita de duas formas: quente ou frio. 


Galvanização a quente



A galvanização a quente recebe este nome porque, na etapa final do processo de zincagem do ferro ou do aço, é necessário que a peça seja imersa em zinco fundido à temperatura entre 445 a 460ºC. Durante a imersão, o ferro ou aço reagem com o zinco, que forma um revestimento de proteção à parte metálica.
 
Muitas peças metálicas passam por um processo de galvanização a quente na indústria. Porém, a camada protetora vai se desgastando com o uso, o que requer a manutenção. Dependendo do tipo de peça ou equipamento, pode ser muito difícil ou mesmo inviável submetê-la a um processo de galvanização a quente.


Galvanização a frio



Já a galvanização a frio é uma reação química entre o zinco e o ferro. Da mesma forma que a quente, ela oferece proteção à corrosão. No entanto, a galvanização a frio é feita por meio de sprays ou pincéis. De modo geral, chama-se de galvanização a frio o revestimento de peças metálicas com tintas ricas em zinco.
 

Galvanização a quente ou a frio?



Em ambos os casos, o procedimento previne o desgaste de peças metálicas. A decisão final quanto a qual processo será utilizado dependerá da criticidade do equipamento, do nível de corrosão e também das prioridades da empresa.
 
Mas quais as vantagens da galvanização? Ter resistência à corrosão, adquirir proteção contra oxidação e ampliar a espessura da peça são algumas delas. Porém, é um método bastante danoso ao meio ambiente e à saúde de homens e animais. Isso ocorre porque a solução final do processo sempre apresenta uma quantidade de cátions que pertenciam aos metais utilizados.
 
Se a solução com os cátions dos metais não passar por um tratamento e for lançada como rejeito em rios, lagos ou oceanos, poderá desencadear em diversos males e que certamente impactarão negativamente nos seres vivos. 


Como escolher a melhor opção



Você já viu que os processos de acabamento disponíveis visam, principalmente, a proteção da sua estrutura. Além disso, busca também auxiliar na segurança de operação do suporte, propiciando fácil visualização dos elementos como colunas, longarinas, protetores e outros acessórios.
 
Porém, a principal vantagem da pintura em relação à galvanização é que ela tem maior resistência à corrosão em contato com determinados produtos químicos, como o sabão em pó. 

Isso é comprovado por meio de um processo mundialmente conhecido chamado de salt spray (ou ensaio de névoa salina) e aplicado pela Bertolini Sistemas de Armazenagem. Essa técnica consiste em ensaios para avaliar a resistência de revestimentos contra a corrosão. Ou seja, é a tecnologia e a qualidade nos processos aplicados nos equipamentos que atestam a eficácia das estruturas e da sua perfeita aplicação nos espaços da sua empresa. 
 
O teste com uma névoa densa e corrosiva reproduz um processo de aceleração da corrosão, causando um ataque agressivo no componente e, após um determinado período, checando a ferrugem produzida. É um processo relativamente barato, rápido e simples de se repetir. A técnica é reconhecida internacionalmente por meio da norma ASTM B117.
 
Outra vantagem é que a estrutura pintada melhora a noção de espaço e traz melhorias no atendimento das demandas por parte do operador. Pensando nisso, as cores das estruturas de armazenagem Bertolini seguem um protocolo desenvolvido para garantir justamente essa facilidade de utilização e segurança. Além de aliar beleza e ergonomia, a cor de cada elemento foi pensada conforme a sua utilização, permitindo o correto equilíbrio entre função, visibilidade, conforto visual, estética e, claro, a função básica de proteção dos elementos em aço.
 
Por exemplo: elementos sem interação com o usuário não necessitam de destaque — não à toa, a Bertolini escolheu o Azul Del Rey por ser uma cor mais discreta. Já os elementos de interação direta, nos quais o usuário deposita as cargas, precisam ser facilmente visualizáveis. Para tal, escolhemos o laranja para dar maior destaque à estrutura. Elementos de segurança seguem padrões internacionais com a cor amarela, devendo se destacar do resto da estrutura.
 
Há também outras vantagens:

-A pintura, por ser aplicada de uma forma mais uniforme, permite uma limpeza mais fácil da estrutura;
-O aspecto visual, que torna o componente mais agradável – uma qualidade bastante reconhecida por muitas empresas. 
-O prazo de entrega, que é menor em relação ao produto galvanizado; 
-O custo benefício, já que uma estrutura com acabamento em pintura possui um preço inferior ao galvanizado.


Pontos de atenção


 
Mas existem locais onde o acabamento com pintura não é a melhor opção? Sim. São ambientes mais agressivos, como fabricantes de produtos químicos, nos quais a pintura se torna um problema devido aos produtos ali armazenados. Abatedouros, onde a presença de sangue e sal é alta, também não costumam ser bons para estruturas com acabamento em pintura. 
 
Conseguiu perceber como um acabamento na estrutura do seu armazém faz toda a diferença para o seu negócio? Esse não é o único fator que você precisa prestar atenção. Questões como o layout também impactam nos resultados e armazenagem dos produtos, então você pode se beneficiar do projeto de layout gratuito que separamos para você.

Gostou do nosso conteúdo?
Se você achou este conteúdo útil, continue navegando pelo blog da Bertolini e conheça muito mais sobre sistemas de armazenagem e processos logísticos que vão ajudar a sua empresa.
voltar