Sucesso!

Recebemos seu E-mail! Aguarde nosso retorno.  

Erro

Preencha o formulário corretamente!
As empresas estão em uma corrida sem fim em busca de maior otimização dos processos. Muitas já perceberam que a codificação de materiais é um dos caminhos mais fáceis para a boa organização do estoque. Logo, impacta positivamente em todas as atividades da operação logística. 
 
No entanto, ainda há gestores que não entendem esse conceito e como ele pode ser benéfico. Pensando nisso, a Bertolini desenvolveu este artigo com todas as informações para você entender por que a codificação de materiais ganha cada vez mais adeptos.
 


O que é codificação de materiais?



Como o próprio nome indica, codificar mercadorias significa atribuir um código a um produto. Isso pode ser feito através de um sistema decimal, com letras do alfabeto, código de barras ou RFID — como veremos a seguir. 
 
O objetivo da codificação de materiais é identificar de forma única o produto, uma vez que não pode haver duas mercadorias distintas com o mesmo código. Esse "identificador" é gerado pelo sistema WMS, que também monitora as movimentações do item. 
 



Quais são os benefícios de codificar mercadorias?



Adotar a codificação de materiais traz uma série de benefícios para a operação logística. O mais evidente é que essa prática ajuda a controlar o estoque e localizar os itens de maneira rápida. Isso permite ter um controle de estoque em tempo real e conhecimento mais profundo do negócio.
 
Com o acompanhamento do WMS, o gestor sabe quando é hora de repor os produtos. Com o passar do tempo, esses dados geram informações valiosas que ajudam a fazer previsões de venda e na tomada de decisões. 
 
Outra vantagem da codificação de materiais pode ser vista na preparação de pedidos. Essa é uma das áreas que requer mais tempo e recurso, para evitar equívocos. Ter o controle sobre os itens confere agilidade ao processo, evita perdas e erros em qualquer operação, 
 


5 formas de codificar mercadorias



Existem diversas formas de codificar as mercadorias. No entanto, as mais comuns são: 
 
Sistema decimal: Conhecido como sistema numérico ou codificação numérica, essa forma é bastante utilizada por ser simples.

Alfabética: Essa forma de codificação de materiais utiliza as letras do alfabeto para representar os itens.

Alfanumérica: Método bastante adotado em peças automotivas e nas placas de veículos. Consiste na combinação entre letras e números.

Código de barras: Sem dúvidas, essa é uma das tecnologias mais utilizadas dentro dos armazéns e nos variados tipos de comércio. Os códigos são gerados de maneira aleatória pelo sistema e permitem um bom controle de estoque.

Radiofrequência: Também conhecido como RFID, essa tecnologia usa ondas de rádio que são transmitidas pelos leitores RFID. É uma "evolução" do código de barras e não exige campo visual direto com o item, permitindo que a leitura seja feita em grandes volumes.
 
Adotar a codificação de materiais é um primeiro passo para facilitar a gestão do estoque. Esse é um desafio constante das empresas, que precisam otimizar o processo para garantir diferencial competitivo. 

Outro desafio muito comum é garantir uma boa entrega aos seus clientes. nessas horas, aqueles familiarizados com a fórmula Order Cycle Time estão um passo à frente, então clique aqui e saiba mais sobre essa métrica.

Gostou do nosso conteúdo?
Se você achou este conteúdo útil, continue navegando pelo blog da Bertolini e conheça muito mais sobre sistemas de armazenagem e processos logísticos que vão ajudar a sua empresa.
voltar