design inteligente para armazenagem

03/07/2012

Em 2050, consumo mundial de aço será em 3 bilhões de toneladas ao ano

O consumo mundial de aço, que no ano passado ficou em torno de 1,5 bilhão de toneladas, deverá duplicar até 2050 e se estabilizar em até 3 bilhões de toneladas anuais, de acordo com projeções da World Steel Association (WSA), entidade que reúne produtores de 62 países e representa aproximadamente 85% da produção global do insumo.

Esse crescimento, segundo Edwin Basson, diretor-geral da WSA, será impulsionado sobretudo pela expansão da população mundial, com consequente aumento da demanda por produtos siderúgicos. "Acho que podemos ser otimistas para o futuro. Não existe sociedade moderna sem aço", afirmou Basson, que participa hoje do 23º Congresso Brasileiro do Aço, em São Paulo.

Também no longo prazo, a expectativa é de equilíbrio entre oferta e demanda de aço globalmente, com assimilação dos excessos de capacidade que pressionam a rentabilidade da siderurgia atualmente. "Mas esse excesso de capacidade não será absorvido no curto prazo", disse.

Conforme Basson, a disponibilidade de matérias-primas vai forçar ajustes na cadeia produtiva do aço nos próximos anos, especialmente em termos tecnológicos.

Em relação ao minério de ferro, destacou, há oferta em níveis crescentes, porém com qualidade inferior. "Ainda assim, haverá disponibilidade", afirmou.

No caso do carvão, o cenário das siderúrgicas é mais complicado. "A disponibilidade vem declinando rapidamente e isso obrigará as empresas a promoverem mudanças tecnológicas."


Fonte: Site Instituto Aço Brasil